terça-feira, 29 de março de 2011

Turismo em Natal, Rio Grande do Norte

Postado por Alexandre Panosso Netto

Depois de gastar quase 48 horas em viagem para ir e voltar de Valladolid a Natal, vocês não acharam que eu ia ficar somente no trajeto hotel-universidade-hotel, né.
Natal ao fundo.

Aproveitamos o sábado, após o encerramento do I Seminário de Estudos Críticos em Turismo, para fazer o tour mais famoso da região: o passeio de buggy.
Saímos da cidade rumo às praias pela Ponte de Todos - Newton Navarro (também conhecida como Ponte Forte-Redinha ou Ponte Nova). O rumo era o norte.
Os colegas de passeio foram Marcelino (de branco) e Irena. O bugueiro, que faz parte de uma cooperativa, passou no hotel no parte da manhã, no horário combinado. Imediatamente fizemos o pagamento do passeio e saímos pontualmente às 9 horas. 
No caminho nos vimos em uma carreata de bugues...
...encontramos vendedores de pencas de caranguejos por 8 reais...
...passamos pelo aquário de Natal que estava cheio, de turistas... e em pouco tempo já desfrutávamos de paisagens como esta...

...e esta...

e mais esta...
... estou confuso, não sei qual a mais bonita...
Me chamou a atenção a organização do turismo na região. Muito profissional. Não identificamos problemas, pois há associações e cooperativas que tomam conta de tudo...
... dos bugues...

... dos passeios de "cheirosos", como são chamados os camelos...

... da travessia de balsa...

...dos pontos de paradas dos bugues...

...do skibunda, que eu fiz e que logo à noite havia uma foto minha no hotel descendo a ladeira de areia,  com data, como se fosse um troféu, para eu comprar...
...passeio de asa delta (não sei se há cooperativa ou associação desta modalidade).

Há também muita economia informal. São pessoas criativas, alegres, que entretem os turistas e oferecem-se para fazerem fotos engraçadas, tal como esse fantasiado abaixo...
... (repare na pose dos turistas)... ou deste menino...
... que enfrenta o sol diário mostrando sua iguana de estimação de dois anos. Após umas fotos, os turistas deixam 1, 2, 5, reais a ele que sai contente (apesar de que na foto ele não parece muito contente).
Conversei com uma senhora que também tem uma iguana de estimação e ela me disse que em um dia bom de trabalho, por três horas diárias, chega a ganhar 50 reais. Em um dia ruim, o valor pode ser de 20 ou 30. Ou seja, não é tão ruim assim.
E as belas paisagens continuavam com a cidade de Natal ao fundo...

ou somente areia...
...bugues...

..e turistas, muitos turistas...
...inclusive com congestionamento de bugues...

...na praia...

...e nos povoados (acima turistas "estressadíssimos" abandonam seus bugues para o "sacrifício" de fazer parte do trajeto a pé)...

...e a economia informal funcionando (repare o vendedor de bebidas à esquerda. Ele chega a faturar de 100 a 150 reais por dia, foi o que ele mesmo me disse)...
...até aqui tinha fila (a da foto acima e abaixo essa foi para passar a balsa).

Mas que importava o trânsito com tal visão?

A lição que para nós ficou é que o turismo parece estar bem organizado, sendo esse passeio o maior atrativo de Natal.
Nossa colega Irena Iteljevic, Marcelino e este que escreve, ficamos surpresos com a qualidade do serviço e das atrações. Os preços são honestos e vale a pena. Um buggy, para 4 pessoas, saindo às 9 da manhã e retornando às 4 da tarde no hotel, custa 300 reais, 75,00 por pessoa. Mais a alimentação e outros gastos de água, sucos (não bebemos cerveja...risos), skibunda, ou aerobunda, gasta-se uns 130 reais para um grande dia de diversão.
VALE A PENA E É BARATO.
Se minha opinião vale alguma coisa, eu indico.
Ademais, as belas imagens desta parte de meu Brasil ficarão para sempre em minha mente, coração e retinas!
NATAL: QUERO VOLTAR LOGO!!!

2 comentários:

syracarend disse...

Excelente a impressão que tiveste de Natal... Consegui encontrar o livro que te prometi, acabou de sair uma nova edição... Entrarei em contato com vc por email para que me passe seu endereço de sao paulo, pedirei para entregarem lá...Um abraço Sylvana marques

Alexandre e Tatiana disse...

Sylvana,
obrigado pelo comentário e pelo livro. Pode enviar para o endereço da universidade que está em meu cartão. Na primeira oportunidade eu pego.
Abraços.
Alexandre