terça-feira, 21 de dezembro de 2010

10 livros - uma lista

Postado por Alexandre Panosso Netto
Nesses dias andei refletindo sobre quais foram os livros não científicos que li que mais marcaram ou que foram importantes em minha vida. É interessante pensar assim, pois num esforço da memória consegui me recordar de vários que li quando ainda era criança/adolescente e não entendia nada da vida (bom, nem sei se hoje entendo algo da vida...).
Que fique claro, eles não tem nada a ver com a questão científica que hoje abordo em meu trabalho.
O fato é que resolvi fazer uma lista dos que considero que foram importantes para mim. Há vários outros, mas escolhi estes. Não consigo dizer ou explicar bem ao certo porque foram importantes, mas sei que foram. 

1 - DISNEY, Walt. Manual do professor Pardal. 1.ed. Editora Abril, 1972. Li quando era criança. Até nesses dias eu lembro dele da casa de minha mãe. Ensinava a fazer um telégrafo com uma pilha e duas lâmpadas. Eu fiz.

2 - DUPRÉ, Maria José. Éramos Seis. Editora Ática (Serie Vaga Lume). Eu tinha 14 anos. Foi o primeiro livro que li e chorei, eu confesso.
3 - GUIMARÃES. Bernardo. O seminarista. Ática, 1977. Imagine que vivi seis anos no seminário católico (ah, você não sabia disso, né?!). Foi ali que comecei a ter gosto pela leitura, pelos estudos, pela filosofia e pelo futebol. Depois de "O seminarista", acho que o livro mais lido por nossa turma foi "O Anticristo", de Nietzsche - por que será? (risos).
4- FORSYTH, FredericK. O dia do chacal. Editora Abril. Li quando era adolescente. A trama envolvente. Mil vezes melhor que o filme, que já é bom demais! Aliás, só vim assistir ao filme recentemente, há uns 4 anos atrás. 
5- STEINBECK, John. A pérola. Editora Record. Eu já tinha meus 17 anos quando li. Fiquei muito "p." da vida com a maldade humana. Como poderia existir gente tão gananciosa? A vida começava a se mostrar para mim.
6- DOYLE, Conan. As aventuras de Sherlock Holmes. O fato é que li com 17-18 anos, não somente esta obra de Doyle, mas também "Um estudo em vermelho", "O signo dos Quatro", "O cão dos Baskervilles", "O vale do medo" e "As memórias de Sherlock Holmes". Ou seja, li toda a coleção que estava disponível na biblioteca do seminário São José de Itaúba, onde estudei, no Mato Grosso.

7- AGOSTINHO, Santo. Confissões. Li quando tinha meus 19-20 anos. Não entendi muito bem. Somente na atualidade é que tenho maior compreensão da importância cristã desta obra. Fundamental para entender o pensamento da igreja católica.
8- TAHAN, Malba. O homem que calculava. Era uma série de livros do prof. de matemática Júlio César de Mello e Souza. A lógica simples, para os problemas que pareciam complexos, me encantava. Cheguei até pensar em cursar matemática. Não sei porque mudei de idéia, ainda hoje gosto dos números, mesmo sem ter o mínimo domínio sobre eles. Anos atrás vi uma entrevista do prof. Souza do Programa do Jô. Ele era mesmo genial.
9 - GAARDER, Jostein. O dia do curinga. Cia das Letras. Li assim que o livro foi lançado (acho que em 1995 ou 96). Havia acabado de ser arrebatado pelo "Mundo de Sofia", do mesmo autor. Todavia, quando terminei "O dia do curinga", vi que era melhor ainda. Uma trama surpreendente. Depois disso fiquei fã de carteirinha e li "Ei! Tem alguém aí?" "Vita brevis", "Mistério de Natal", "Através do espelho"...foi a primeira vez que senti inveja de um escritor, no bom sentido. Como ele poderia escrever tão bem!? pensei!

10- MONTELLO, Josué. Os tambores de São Luís. Nova Fronteira. Montello foi publicado em 1974, mas somente há duas semanas o li. Fruto de minha primeira viagem a São Luís, no Maranhão, decidi ler o clássico. Quase 700 páginas "devoradas" em cinco dias. Não conseguia parar de ler. A história do negro alforriado Damião me levou a perguntar: "porque somente agora fui ler esse livro?". Fiquei com vergonha de mim mesmo. 
Ah, relacionei Montello, uma de minhas últimas leituras, pois senão poderiam pensar que nunca mais li nada de literatura, o que não é verdade.

Uma lista é... sempre uma lista. 
Creio que eu poderia relacionar vários outros, talvez várias outras listas com 10 livros. Todavia são esses que foram fundamentais em determinados momentos de minha vida.
Sabe, eles me fazem sentir um pouquinho de saudades dos tempos idos...
Ah, que nada: o presente e o futuro prometem muito mais!

2 comentários:

Anônimo disse...

Grande Alexandre. Fiquei surpreso em te ver meio careca! espero que nao tenha preconceitos! (rssss) Cara de fato, dos 10 livros confesso que compartilhei da leitura dos mesmos 8 livros. Só não li o Manual do Professor Pardal e o Homem que Calculava.
Fiquei feliz em poder ter compartilhado contigo de momentos que fizeram a diferença na tomada de decisões para a vida. E o importante é poder fazer a diferença na vida das pessoas, afinal de que vale a vida?
Irineu Grigoletto

Alexandre e Tatiana disse...

Amigo Irineu,
foi ótimo falar contigo nesses dias depois de tanto tempo.
Os livros acima de fato foram parte de nossa formação.
Abraços e sigamos em contato.
Alexandre