sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

São Luís - Maranhão

Postado por Alexandre Panosso Netto

Estive nos dias 01 e 02 deste mês em São Luís, no Maranhão. Fui convidado pelo professor Saulo Ribeiro do Santos, coordenador geral do NPDTUR da UFMA (www.npdtur.ufma.br), para uma palestra sobre segmentação do mercado turístico.
A palestra foi a abertura do I Seminário de Inovação e Competitividade do Maranhão: Diretrizes para o Turismo, Administração e Comunicação, evento único na cidade de São Luís, e no estado, segundo afirmaram os organizadores.
Mesa se abertura dos trabalhos. O prof. Saulo está ao centro.

O público, muito interessado e participativo, era formado por alunos dos cursos de Turismo, Hotelaria, Comunicação e Administração.
Galera do NPDTUR e outros alunos.

 Foram tantas as perguntas após a palestra que não foi possível responder a todas.
Parcial do público presente.

Eu e prof. Paulo, coordenador do NPDTUR da UFMA.

Logo que recebi o convite, aceitei imediatamente, pois São Luís era uma das poucas capitais brasileiras que eu não conhecia.
Após à palestra fomos ao centro tombado da cidade para provar a pizza de camarão e o suco de bacuri - gastronomia com um toque regional.
Pizza de camarão.

Suco de bacuri (uma espécie de palmeira).


Vista noturna.

Outra paisagem.

No dia seguinte à palestra, tive oportunidade de conhecer um pouco da cidade. Meu guia e motorista foi o acadêmico de turismo Ruan, que mesmo sendo muito jovem já demonstra engajamento nos temas locais, coordena a empresa júnior de turismo da UFMA, e já viveu no Canadá para estudar, trabalhar e aprimorar suas experiências.
Ruan, meu guia por São Luís. Jovem de futuro promissor.

Ruan me proporcionou a oportunidade de conhecer "duas São Luís", conforme tentarei explicar.
A primeira é de fato a cidade histórica, o centro antigo.
Eu não imaginava que eram por volta de 1500 prédios tombado pela UNESCO e mais de 3000 pelo IPHAN. Um espetáculo as construções.

Há lojas de artesanatos...
...com temas regionais...
...ruas simpáticas com árvores no meio da pista de paralelepípedos...

...restaurantes com temas sugestivos, como o simpático "Antigamente" e...

...ruas inteiras de casarios...

...em perfeitas condições.

Construções imponentes como o palácio do governo...
... e a igreja da Sé...
... e o antigo convento.

Mas há outros prédios não tão bem conservados assim...

... que necessitam uma reforma...

...urgente!



Ruan explicou que há muitas famílias sem condições de manter o prédio e eles simplesmente desabam. Simples assim.
Há obras sendo feitas, como a do futuro Museu de Gastronomia do Maranhão.



Segundo o prof. Saulo, os cursos de turismo, história e hotelaria da UFMA serão transferidos para o centro histórico da cidade, como uma forma de valorização e urbanização, trazendo mais vida ao local, evitando, assim, o mau uso do espaço público.
Quem visita somente a parte histórica, fica com uma visão parcial da cidade. Conhece apenas resquícios do auge de uma das mais importantes cidades do Brasil do período escravista.


Mas quando somos levados à parte nova da cidade, vemos empreendimentos residenciais e comerciais sendo construídos...

vários empreendimentos...


...em avenidas largas...


... e repletas de comércio...


..espaços de turismo adequados...


...e prédios construídos depois das dunas, evitando grande proximidade da praia...
...que possui completa infra estrutura para o turismo...

...além de ser muito bela...
...e de onde é possível observar a fila de navios esperando para atracar no porto...
... na foto acima estão dois navios, mas contei 15 na fila.

E que tal a vista abaixo?


Bom, qualquer visão equivocada da cidade como pobre e pouca infra-estrutura, se desmancha facilmente.
É claro que problemas existem, como os ambientais...


...de moradia...

... e sociais.

Segundo meu guia, os programas sociais do governo federal tem grande impacto positivo na vida das pessoas de São Luís, pois apesar de haver ilhas de pleno desenvolvimento e de riqueza, também há áreas pobres e degradadas.
Votando ao encontro, motivo de minha viagem: sem dúvida o seminário do organizado pela equipe do NPDTUR está de parabéns pela proposta em debater temas complexos e necessários às nossas cidades.
O turismo deve ser visto como um vetor de integração e desenvolvimento social. Não pode ser trabalhado de forma isolada. Esse pensamento de integração é o que o NPDTUR e o curso de turismo da UFMA possuem e disseminam.
Ao menos foi essa impressão (ótima) que tive do que lá encontrei.
Pretendo voltar e me penalizo por não ter conhecido essa bela cidade há mais tempo.

.......
Ia me esquecendo: comprei "Os tambores de São Luís" de Josué Montello. Envolvente romance psicológico do século XIX, que se passa no Maranhão. Conta a história do negro nascido escravo Damião. Quase 700 páginas, mas não se preocupe, se você começar a ler, não vai parar e vai terminar rapidinho... tem passagens tristes, horripilantes, mas há certo tom de humor também. Magnífica leitura!


2 comentários:

Anônimo disse...

Prof. Panosso!
Que riqueza de informações e fotos! Temos um novo guia de São Luís.
Foi uma honra ouví-lo e estar com o senhor!

Abraço!

Davi Andrade.

Alexandre e Tatiana disse...

Davi, obrigado pelas palavras elogiosas, mas como afirmei, aprendi mais do que ensinei. Adorei conhecer novas pessoas e sua cidade! Espero voltar em breve!